O seu Portal de Informações em Mato Grosso

Domingo, 03 de julho de 2022
MENU

Mato Grosso

Entidades temem destruição de rio e são contra PCH de Maggi em MT

Audiência pública foi realizada a toque de caixa

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A Associação dos Produtores de Feijão, Pulses, Grãos Especiais e Irrigantes de Mato Grosso (Aprofir), participou na terça-feira (03), em Primavera do Leste, de uma audiência pública promovida pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema-MT), onde tratou sobre o processo de licenciamento ambiental da PCH Entre Rios, que será do grupo Bom Futuro. Além da Aprofir, também estiveram presentes produtores rurais, representantes da sociedade civil organizada e lideranças indígenas Xavantes.

O presidente da Aprofir, Otávio Palmeira criticou a realização da audiência pública a toque da caixa, sem um prévio cuidado por parte da Sema-MT em comunicar com antecedência a data do evento, aos principais interessados em discutir o tema de relevância importância para a região e para o meio ambiente. “Nós da Associação, que defendemos os Irrigantes e a irrigação, que tem Primavera do Leste, como um forte Pólo de Irrigação do Mato Grosso, também fomos pegos de surpresa com esta audiência, e por isso não concordamos na forma que ela está sendo conduzida, e a Aprofir já enviou um oficio ao Ministério Público e também para Sema-MT para que esta audiência pública seja cancelada, e assim uma nova seja organizada com todos os interessados na questão a ser realizada na forma presencial, na cidade de Primavera do Leste”, destacou.

As lideranças e Associações das Terras Indígenas (TIs) São Marcos, Areões, Pimentel Barbosa e Sangradouro, destacando a Cooperativa Indígena Sangradouro/Volta Grande (Cooigrandesan), produtores rurais e a sociedade civil organizada, de forma unânime são contrários ao empreendimento da iniciativa privada. Em nota se pronunciaram dizendo que “não concordamos com a forma ilegítima como este processo está sendo conduzido”.

No oficio dirigido à Promotoria de Justiça Estadual e a Sema-MT, a Aprofir listou uma série de argumentos desqualificando a legitimidade da audiência pública, como a de falta de publicidade, a brevidade nos convites a associações e interessados. A PCH Entre Rios é de responsabilidade da Entre Rios Energia Ltda., empresa integrante do Grupo Bom Futuro do empresário Eraí Maggi.

www.jlnoticias.com.br

Fonte/Créditos: FolhaMax

Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Olá, tudo bem? Entre em contato conosco através do nosso WhatsApp.