JL Notícias: O seu portal de informações em Mato Grosso

Terça-feira, 16 de Julho de 2024
Virtual Connect
Virtual Connect

Mato Grosso

Matilha de cachorro-vinagre é flagrada pela primeira vez por câmeras de monitoramento na Transpantaneira

São 15 câmeras trap instaladas em pontos estratégicos da Estrada Parque em Poconé. Projeto é coordenado pela Sema

Jeferson Viana
Por Jeferson Viana
Matilha de cachorro-vinagre é flagrada pela primeira vez por câmeras de monitoramento na Transpantaneira
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
Uma matilha de cachorro-vinagre, ameaçados de extinção no Brasil, na categoria de espécie vulnerável, foi flagrada pela primeira vez pelas câmeras do projeto Monitoramento da Fauna Silvestre da Estrada Parque Transpantaneira, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT).

São 15 câmeras trap instaladas em pontos estratégicos da Estrada Parque em Poconé (124 km distante de Cuiabá) que permite que a Sema elabore um mapa de incidência das espécies.


O monitoramento gera relatórios técnicos com objetivo de produzir dados que auxiliam em embasamentos técnicos do setor de Coordenadoria de Fauna e Recursos Pesqueiros e traz imagens curiosas e informações relevantes como as espécies mais registradas e menos avistadas pelas câmeras. O cachorro-do-mato foi a espécie com maior número de registros, sendo 2.997 no período de um ano.

O projeto, de iniciativa da Coordenadoria da Fauna e Recursos Pesqueiros, teve início em março de 2022 e coleta informações sobre a diversidade, frequência, padrão de atividades diárias e sazonais nos pontos escolhidos no entorno da Estrada Parque Transpantaneira são de extrema relevância para a conservação da fauna local.

O uso de câmeras trap permite verificar os padrões comportamentais e ecológicos dos animais que vivem em ambiente natural e os resultados são melhor compreendidos através de registros padronizados realizados em longo prazo. Os relatórios técnicos trazem também um levantamento e monitoramento da fauna silvestre atropelada, além do acompanhamento da presença de água.

A analista de meio ambiente, bióloga Neusa Arenhart, destaca que a ação além de monitorar a condição dos animais avistados pelas câmeras instaladas, é possível registrar os hábitos das espécies do Pantanal, emitir documentos técnicos e verificar a presença e a incidência de espécies ameaçadas de extinção. “As imagens mostram momentos únicos que revelam os hábitos dos animais, as interações, alimentação. Os registros podem ser utilizados para a educação ambiental, já que divulgar a existências dessas espécies é uma ferramenta para a preservação”.

MONITORAMENTO MAIO E JUNHO



Os últimos relatórios foram produzidos no período de 13 a 17 de maio e de 10 a 14 de junho e traz informações sobre os animais registrados no período. Foram capturadas imagens de onça-pintada, tamanduá-bandeira, cervo-do-pantanal, tatu-canastra, lobo-guará, mutum-de-penacho, onça-parda, cervo-do-pantanal, veado-catingueiro, garça-real, serpente não peçonhenta, garça-azul e gavião-preto, tuiuiú, o pássaro freirinha e um grupo de anhumas se alimentando em um campo encharcado junto a vários jacarés.

Entre as imagens que chamam atenção está um Urutau, ave carnívora de hábitos noturnos com papel ecológico importante para o controle de populações de insetos, pousado sobre um poste à beira de uma ponte utilizando da camuflagem para se esconder ou enganar os predadores permanecendo mais de 12 horas imóveis no mesmo lugar.

Outro destaque observado no documento técnico está a arara-azul-grande que há 30 anos é monitorada pelo Instituto Arara Azul que busca promover a conservação da espécie e da biodiversidade no Pantanal.

MONITORAMENTO FAUNA SILVESTRE ATROPELADA



Na campanha do projeto de Levantamento e Monitoramento da Fauna Silvestre Atropelada na Estrada Parque Transpantaneira foi constatado no mês de maio 15 carcaças de animas, com predominância de répteis, oito no total, além de três mamíferos e quatro aves. Também foram registrados uma serpente verde e um gavião carcará fora do período do monitoramento, porém foram inseridos no banco de dados como adicionais para auxiliar nas avaliações gerais do projeto.

Nos registros de junho do monitoramento da fauna silvestre atropelada foram registradas 22 carcaças de animais silvestres, sendo que em apenas um dia foram encontradas 16 carcaças, sendo 8 répteis, 4 mamíferos e 4 aves. Entre estes 22 animais foram identificados quatro filhotes de jacarés sendo que dois deles estavam acompanhados com a mãe que também foi morta, Gavião-carcará, anuro, cachorro-do-mato, serpente caninana, teiú-matipu.  

PRESENÇA DE ÁGUA
O relatório também constatou a presença de água em vários locais ao longo da Transpantaneira, como a região da Torda, rio Pixaim, rio Cassange, Largo do Jofre e ao longo do entorno da Estrada Parque Transpantaneira. Também foi constatado presença de água no canal Cassange que é de grande importância para manutenção das águas para uma considerada área da região central do Pantanal Norte e vem sendo monitorado.


Veja os vídeos aqui:
Vídeo 1 https://www.youtube.com/watch?v=AOrSXyPxTgs
Vídeo 2 https://www.youtube.com/watch?v=XcLNylIdWmc
Vídeo 3 https://www.youtube.com/watch?v=23-T3qvwiro
Vídeo 4 https://www.youtube.com/watch?v=AeLMvE6exxY
Vídeo 5 https://www.youtube.com/watch?v=yooA1KMJ1v8
Vídeo 6 https://www.youtube.com/watch?v=ckjvAgeH4VU
Vídeo 7 https://www.youtube.com/watch?v=aRcciZZZl_o
Vídeo 8 https://www.youtube.com/watch?v=pUFVaefToss
 

www.jlnoticias.com.br

Quer saber das nossas informações em primeira mão?
Basta Clicar Aqui e será redirecionado para o nosso Grupo
FONTE/CRÉDITOS: Maricelle Lima Vieira e Renata Prata | Sema/MT
Comentários:
Anuncie aqui
Anuncie aqui
Anuncie aqui
Anuncie aqui

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Olá, tudo bem? Entre em contato conosco através do nosso WhatsApp.